Beleza Pura

 

De estagiária a empreendedora aos 20 anos

Uma das frases mais repetidas no mundo corporativo diz que "não há idade para começar a empreender". De fato, a expressão é verdadeira: Confira a história de Carlize Graf, a garota de 20 anos que mudou sua carreira na recepção da franquia Ad Clinic. No próximo dia 24 ela se torna uma franqueada e inaugura a unidade de Sítio Cercado

Brasil,  2021: Segundo uma pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), dois em cada três jovens brasileiros têm o desejo de se tornarem empreendedores. O estudo também apontou que 70% dos jovens brasileiros querem abrir novos negócios em cidades pequenas e também nas grandes capitais do país.

Assim, Carlize Graf, de apenas 20 anos, mostra que faz parte das estatísticas do empreendedorismo jovem. Além disso, ela se enquadra como parcela de outra pesquisa, onde aponta que o aumento do número de mulheres que decidem abrir o seu próprio negócio aumentou em 124%, segundo estudo do Sebrae. Também, uma pesquisa da GEM (Global Entrepreneurship Monitor) indica que 57% dos proprietários de negócios na fase inicial possuem entre 18 e 34 anos, sendo considerada uma das melhores épocas para isso. 

Ela conta que a veia do empreendedorismo foi sendo moldada na família. “Eu cresci brincando na serragem da marcenaria dos meus pais e aprendendo sobre móveis e madeiras; quando eu tinha mais ou menos 12 anos, meus pais decidiram abrir uma pequena loja de móveis, na qual eu sempre ajudei – atendia, limpava e organizava”, relembra Carlize.

Dessa forma, ela então decidiu investir em seu primeiro negócio: uma das franquias de estética que mais crescem no Brasil, a AD Clinic. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o Brasil é o terceiro maior mercado de estética e beleza, atrás apenas dos Estados Unidos e do Japão. A região Centro-Oeste representa 10,3% do setor nacional. 

Assim, cada vez mais esse mercado aumenta, movimentando clínicas de estética, salões de beleza, spas, e também, a profissionalização das pessoas que executam esses tratamentos tão especiais. Ainda segundo a Associação Brasileira de Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos, (ABIHPEC) o setor cresceu cerca de 567%, envolvendo mais de 480 mil profissionais. No ramo de franquias, na área da Saúde, Beleza e Bem-estar, faturou-se aproximadamente R$34,2 bilhões no ano de 2019. 

Dados do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) mostraram que seis em cada dez pessoas dizem-se vaidosas e mais de 60% consideram que cuidar da beleza não é um luxo em si, mas uma necessidade. Desses, mais da metade expressaram que gastar dinheiro para melhorar a aparência física é digno de investimento, ainda mais com a sensação contemplativa após algum procedimento realizado. 

 ‘’Eu vi uma oportunidade de negócio que cresce cada vez mais, mas não olhei somente o faturamento, eu queria algo que também trouxesse felicidade nas pessoas, principalmente por proporcionar autocuidado e bem-estar. Ninguém sai triste de uma clínica como a AD Clinic, e em tempos tão difíceis, isso é maravilhoso’’, comenta a jovem. 

A história dela com a clínica começou há alguns anos. Carlize cuidava da recepção sozinha: “era como se aquilo tudo fosse meu, eu amava aquele lugar”, assume. Da recepção, ela passou para consultora comercial, porque percebeu que a clínica não estava faturando o suficiente por falta de treinamento dos colaboradores, então ela passou a treiná-las e acabou sendo promovida pela iniciativa e, também, porque o faturamento dobrou.

No mês de novembro, a clínica ficou em terceiro lugar no ranking de todas as unidades, mesmo sem possuir todo o conhecimento e histórico das outras.

 “Ao final do ano, com somente 19 anos, me vi tomando conta de toda uma equipe e de uma unidade inteira. Confesso que não foi nada fácil, porque as dificuldades eram enormes e, por mais que você trabalhe quase 10 horas por dia, o resultado demora a vir, mas eu sabia que um dia tudo iria compensar”, afirma Carlize sem imaginar na época que teria sua primeira franquia de sucesso, que irá inaugurar em Sítio Cercado, no dia 17 de agosto. 

Neste ano, o CEO da rede de franquias da AD Clinic, Rodrigo Nunes, fez uma proposta irrecusável e a jovem descobriu-se empreendedora.

Fazer parte de uma franquia que se preocupa com o bem-estar das pessoas e realmente se atenta com o atendimento de qualidade, é tudo o que eu queria. Todo o meu esforço foi válido, e eu sabia que um dia eu seria recompensada, mas não imaginei que já seria agora”, comenta Carlize.

Serviço 

Inauguração: 24/08

Endereço: Rua Izaac Ferreira da Cruz, 1925 - Sítio Cercado, Curitiba - PR, 81900-000

Redes sociais

https://www.facebook.com/adclinic.sitiocercado/

QUER GANHAR 03 SESSÕES DE LIPO SEM CORTE, CADASTRE-SE 👇🏾

Sobre a rede de estética Ad Clinic:

Possui mais de 80 unidades espalhadas por diversas localidades e ainda estima terminar o ano de 2021 com 200 novos espaços. Em termos de cifras, a marca vale R$ 100 milhões. Os sócios, Rodrigo e Aline, conquistaram a primeira loja com um investimento de R$ 5 mil. Porém, a vida do casal nem sempre foi fácil. Enquanto a esposa realizava os procedimentos estéticos, o marido panfletava nas ruas para atrair mais clientes. Durante a Covid-19, eles iniciaram a panfletagem digital, investiram na comercialização de franquias por vendas on-line e expandiram a empresa.



 + Beleza Pura

boom da cirurgia plástica facial irá persistir após a pandemia?

Dados do Google mostraram que, durante pandemia, houve um aumento de quase 5000% na busca pelo termo "rinoplastia", 240% na busca por harmonização facial e 80% por botox. Com a vacinação e retomada da vida normal, número de procedimentos estéticos tende a aumentar

cirurgia plástica

São Paulo — 17/08/2021 - Esse é o segundo ano de pandemia de Covid-19 e muitas coisas mudaram desde a descoberta do vírus, incluindo o setor de beleza, saúde e bem-estar. Dados do Google mostram um aumento de quase 5000% na busca pelo termo “rinoplastia”, 240% na busca por harmonização facial e 80% por botox durante a pandemia. “Com isso, é fácil perceber que o setor de cirurgia plástica não ficou imune a essas mudanças e diversos fatores motivaram muitas pessoas, que antes apenas consideravam se submeter a um procedimento estético mais para frente. A viabilidade do home office, a impossibilidade de viajar e o efeito zoom, em que as constantes reuniões por videoconferência nos fizeram ficar cara a cara com nossa própria imagem, estão entre os principais fatores que contribuíram para levar pacientes ao centro cirúrgico”, explica o Dr. Mário Farinazzo, cirurgião plástico, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Mas será que ele perdura? “Com a vacinação e a retomada da vida normal, é possível que mais pessoas busquem procedimentos estéticos, desde os não invasivos até as cirurgias. Além disso, o home office veio para ficar e isso é um fator importante, já que o paciente pode ficar em casa após procedimentos que exigem tempo de recuperação e repouso”, acrescenta.

             O estudo “Is zoom increasing the demand for plastic surgery” publicado na revista “Facial Plastic Surgery & Medicine” observou o fenômeno do aumento de procura de pacientes por procedimentos estéticos após a superexposição em videochamadas. “Em uma reunião, estamos falando, debatendo ou sorrindo, coisas que não costumamos fazer no espelho. Então, é normal que algumas linhas de expressão fiquem mais sobressalentes. Mas como as pessoas estão tendo muito contato com a própria imagem em movimento e expressões diferentes, é legítimo que elas queiram tratar”, diz o Dr. Mário. Há uma tendência de que as reuniões por Zoom continuem. “As pessoas descobriram que muitas das reuniões presenciais que demandavam horas de trânsito ou de viagem podem ser resolvidas por videochamadas. E essa é uma tendência que dificilmente sairá de moda”, conta. As cirurgias faciais serão as mais beneficiadas por esse efeito, com procedimentos como blefaroplastia, rinoplastia preservadora, rinoplastia tradicional e ritidoplastia, além dos procedimentos injetáveis como toxina botulínica, bioestimuladores de colágeno e skinbooster.

Além do “efeito zoom”, a permanência prolongada em casa serviu como motivador para muitas pessoas que já desejavam realizar procedimentos cirúrgicos, mas se preocupavam com o tempo prolongado de recuperação, a buscarem médicos cirurgiões, uma vez que agora era possível passar pelo período e continuar trabalhando sem comprometer a rotina, do conforto de sua casa. “E na medida em que essa tendência veio para ficar, será possível a um número muito maior de pessoas realizar um tratamento e poder continuar trabalhando”, explica o cirurgião.

Uma pesquisa da American Society of Plastic Surgeons, com mais de 1.000 mulheres nos Estados Unidos (conduzida com a empresa de pesquisa de mercado Equation Research), descobriu que 11% das mulheres do país estão mais interessadas em cirurgia plástica e tratamentos do que antes do Covid-19. A pesquisa mostra que 35% das mulheres pesquisadas já têm um procedimento de aprimoramento cosmético em seu currículo e estão planejando seus próximos tratamentos em 2021, com planos de gastar mais em procedimentos este ano do que no ano passado.

Por fim, o médico lembra que o primeiro passo é agendar uma consulta com um cirurgião qualificado e confiável para explicar o caso e fazer uma avaliação sobre qual o melhor caminho para o tratamento. “Submeter-se a um procedimento estético é uma grande decisão e deve ser tomada de maneira cuidadosa, bem informada e com ajuda de um profissional experiente”, finaliza.

FONTE: *DR. MÁRIO FARINAZZO: Cirurgião plástico, membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e Chefe do Setor de Rinologia da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Formado em Medicina pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), o médico é especialista em Cirurgia Geral e Cirurgia Plástica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Professor de Trauma da Face e Rinoplastia da UNIFESP e Cirurgião Instrutor do Dallas Rinoplasthy™ e Dallas Cosmetic Surgery and Medicine™ Annual Meetings. Opera nos Hospitais Sírio, Einstein, São Luiz, Oswaldo Cruz, entre outros. www.mariofarinazzo.com.br


 + Beleza Pura.

Conheça o Minilifting Setorial, procedimento que promete deixar o rosto até dez anos mais jovem.


Divulgação

Pouca gente sabe, mas é possível deixar o rosto até dez anos mais jovem através do reposicionamento dos músculos da face. Isso é possível através do Minilifting Setorial. Com apenas três pontinhos de ancoragem e com incisões mínimas, o procedimento é feito com anestesia local, uma leve sedação e a alta hospitalar ocorre no mesmo dia. 


“As vantagens são inúmeras, como a redução do inchaço, ausência do estigma de plástica no rosto e retorno às atividades diárias em poucos dias. Com este reposicionamento conseguimos rejuvenescer a região malar (maçã do rosto), o ângulo da mandíbula e o bigode chinês”, explica o cirurgião plástico Regis Ramos. 


O especialista orienta sobre a indicação do procedimento. “É indicado para pacientes mais jovens, que apresentam flacidez e excesso de pele na face nos graus leve e moderado e ideal para evitar os exageros de preenchimentos (harmonização facial), que têm deixado rostos jovens com aparência de caricatura. Realizo este procedimento em pessoas públicas como atrizes e celebridades que necessitam voltar rápido para o trabalho, mas sem que seja notado que tenha realizado um procedimento cirúrgico”, conta. 


O resultado do Minilifting Setorial é observado em pouco tempo. Em média entre 7 a 10 dias já é possível notar um rejuvenescimento importante no rosto dos pacientes.


 


Nenhum comentário: