domingo, 29 de maio de 2016

Opinião \ Por Cesar Prevedello

TRINTA HOMENS OU TRINTA ABERRAÇÕES?

Antes de começarmos a descrição, para que alguns homens e até mesmo mulheres, tenham noção da situação, imagina se alguém que você ama fosse estuprado(a), ainda mais por trinta homens maiores de idade e conscientes do que estavam fazendo, tente imaginar metade da dor, não só física, que fique claro, que essa pessoa sentiu e ainda sente. Agora vamos ao ponto, essa garota é uma adolescente (menor de idade), cursa o ensino médio, resolveu ir a uma festa e trinta homens a estupraram! E o problema não acaba aqui, trinta estupraram mas 40 homens disseram que se ela tivesse ficado em casa isso não teria acontecido, 50 homens culparam a roupa dela, 60 homens compartilharam o vídeo, 70 homens ficaram excitados e 80 homens disseram que são diferentes mas compactuam com a mentira dos parceiros.

Todos esses homens são culpados pelo fato ter acontecido e continuar acontecendo barbaridades como esta que ocorreu na cidade maravilhosa que tem, infelizmente, monstros iguais aos trinta “homens” dessa barbaridade. Se uma pessoa se cala, ela também tem culpa!

Não é “vitimismo”, é a realidade e ela precisa ser falada nas escolas, nas redes sociais e em todos os outros lugares. Estupro não é culpa da vítima, estupro não é "por que tava pedindo" e muito menos "porque é a natureza do homem". Forçar uma pessoa a fazer sexo é estupro, fazer sexo com uma pessoa incapaz de se defender é estupro, drogar uma pessoa e fazer sexo com ela TAMBÉM é estupro. 

Não existe a cultura do estupro no Brasil? O nono anuário do FBSP registrou que quarenta e sete mil e seiscentos estupros acontecem em apenas um ano, ou seja, aproximadamente a cada onze minutos uma mulher é estuprada. Friso: quarenta e sete mil e seiscentas mulheres foram estupradas no nosso país EM APENAS UM ANO! Dessas mulheres, oitenta por cento ficam traumatizadas pro resto da vida e nove por cento cometem suicídio.

Sinceramente, o Brasil está sendo estuprado por políticos ladrões e pela “cultura” inútil de nossos cidadãos com pensamento das cavernas a anos! Enquanto a educação não for o forte do nosso país, jamais seremos um país desenvolvido.
 
César Prevedello

Um comentário:

Bruna Bahls Bruni disse...

Adorei o texto :)

Penso que é uma pena ter que iniciar um artigo como este pedindo que os leitores pensem que a mãe, irmã, esposa ou mulher conhecida por eles poderia ter passado pela mesma situação. Triste porque as pessoas (não apenas homens, como você bem colocou) só enxergam a gravidade e brutalidade da situação se tivesse ocorrido próximo a elas. Quando é uma "estranha", ninguém realmente se importa.
Mais triste ainda é notar que a maioria entende como vitimismo, feminismo chato, história de mulherzinha mal-comida, ou qualquer dos outros absurdos que escutamos e lemos no Tribunal das Redes Sociais. Tribunal este que culpa a vítima, a roupa, a música funk, o local, o mundo, o Bob Esponja e a Fada do Dente pela ação ANIMALESCA destes 30 homens, mas não eles. Não, eles estavam cumprindo seu papel na cadeia alimentar.

E, realmente, concordo inteiramente com você: não foram apenas 30, todos os que compactuam, compartilham, culpam a vítima, ou "apenas" fazem comentários sexistas e machistas no seu dia-a-dia apoiam a nojenta cultura do estupro.
Devíamos discutir a situação em casa com os filhos e familiares, devíamos falar sobre isto nas escolas. Deveríamos reeducar a cultura do "você é uma mocinha, se comporte como uma" x "isso, filho, pega no peitinho da menina que é fofo". Começa na base, na formação do pensamento sexista e machista. E precisa mudar URGENTE. A frase "segurem suas éguas que meu cavalo está a solta" (e similares) precisa sair do nosso contexto JÁ.

Texto ótimo, César. Parabéns.!